domingo, 12 de fevereiro de 2017

A STREET CAT NAMED BOB




Sabem aquela vontade de querer escrever sobre um filme assim que o acabam de ver ? Nem sempre isso é possível, mas acabei de assistir a um filme e tinha mesmo de vir aqui falar sobre ele.

O dito cujo intitula-se A STREET CAT NAMED BOB e surgiu-me enquanto andava a vaguear por um site de assistir filmes online.
Este filme fala de um tema complicado: drogas. James é um toxicodependente que só tem duas coisas, o seu vício e a sua guitarra.
Usa os trocos que vai ganhando ao tocar na rua para sustentar o vício e, como é óbvio não lhe sobra nada nem sequer pra comer, vivendo então de restos.
Eis que então o seu vício leva-o para o hospital e lá alguém tenta ajudá-lo a sair daquela vida.
Durante essa saída das ruas para um sítio melhor James é surpreendido por um gato vadio que vem preencher os seus dias e dar-lhe outro propósito.

Não querendo dar spoilers, tenho que partilhar o momento do filme que mais me chocou.
 Quando James vai a um restaurante/ tasca tentar comprar comida com os tostões que tem mas não tem dinheiro suficiente. Ainda tenta suplicar ao dono que o ajude e começa a tocar e a cantar uma música mas isso não comove o dono. 
O que é que o dono faz? Simplesmente empurra o prato de comida para o lava loiças desperdiçando a comida que podia matar a fome a James. Doeu-me no coração ao ver esta cena ... E atenção que o filme é baseado numa história real!

Este filme está mais do que aprovado por mim. Vale mesmo a pena ver!
Resultado de imagem para a street cat named bob

2 comentários:

  1. Também adorei o filme e impressionei-me tamb imenso com aquela cena da comida. Tipo preferiu estragar a comida do que a dar ao rapaz. O pior é que isso acontece mesmo nos dias de hoje.

    ResponderEliminar
  2. Já li o livro, gostei, e quando soube do filme fiquei super entusiasmada e depois quando o vi adorei!!! Agora só me faltam ler os outros dois livros do James :)
    Confessoque essa parte do filme também me chocou, era desnecessária aquela atitude da parte do homem, enfim...

    ResponderEliminar

Faz barulho *