segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Do «odeio» ao «amo(-te)»

book, grunge, and black image

Em 2015 aprendi a dizer mais aquilo que sinto. 
Não quero ter uma lista interminável de coisas que queria dizer e não disse. Assim sou mais feliz. 

4 comentários:

Faz barulho *