quarta-feira, 13 de maio de 2015

Abram os olhos


Como já devem ter reparado agora só se ouve falar no caso de agressão da Figueira da Foz.
Obviamente que ninguém consegue deixar de parte o sentimento de indignação.  Claro que o bullying sempre existiu só não era conhecido por uma designação tão pomposa. 
O que é que estas criaturas têm na cabeça? Não sei se o problema vem de casa, nem sequer nos podemos referir à educação que recebem ou à falta dela, porque a verdade é que esta gente já é problemática por si só.
Quem trata alguém assim, independentemente do que estará por trás de tal atitude, completamente injustificável, precisa de acompanhamento psicológico. Fosse isto normal e andávamos por aí a agredir pessoas só porque sim. 

Quando andava no 2º ciclo também eu tive de levar com criaturas destas que psicologicamente me atormentavam, mas a diferença é que eu não fiquei calada. Fui "queixinhas" e a situação chegou aos ouvidos dos meus pais, diretora de turma e paizinhos dos envolvidos que já agora tinham tantos ou ainda mais parafusos fora do lugar. 
A única vez em que isto que me fizeram teve repercussões físicas foi no final de uma aula de matemática. A professora presenciou e simplesmente não fez nada. 

Parece que é mais fácil acreditar que estes episódios não passam de brincadeiras de crianças. Só que estas crianças que de inocentes não têm nada são os adultos de amanhã. 
Espero realmente que as pessoas comecem a abrir mais os olhos para o que vêem!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Faz barulho *